Molhados

domingo, 18 de outubro de 2009

Parafraseando...


"Morre-se ou perde-se a vida? A gente acostuma a ouvir as duas frases e a rotina faz com que não percebamos que as duas, são completamente diferentes... A explicação que ouvi, fez com que parasse e pensasse: Estou morrendo ou perdendo a vida?
Para uma resposta... Entender a diferença...
Morre-se todo dia... Toda vez que colocamos a cabeça no travesseiro e fizemos um balanço de nossos atos. Estes atos são os corretos, nos fazem ter orgulho do dia que tivemos. Fomos fiéis aos nossos princípios e ao que julgamos plausíveis. Sentimos a sensação de que não precisaríamos mudar em (quase) nada. Então podemos morrer! Depois de um dia cheio e cansativo.
Pode-se visualizar a diferença...
Perde-se a vida todo dia também... Toda vez que colocamos a cabeça no travesseiro e os atos não são os melhores. Estes atos nos entristecem, nos aborrecem e fazem com que sentimos vergonha de tudo que fizemos. Perde-se a vida todo dia que não dizemos o que queríamos ter dito ou não fazemos o que mais queríamos ter feito. Quando resistimos ás alegrias e nos deixamos levar pelo comodismo... Sim, se perde a vida também por não fazer nada. Ficar o dia todo dentro de casa para não errar... Também é perder vida, é perder tempo.

Com a explicação e a diferença entre morrer e perder a vida... Ouvi um conselho:
Um dia perdido, já foi. Não há tempo para contorná-lo. Perdeu-se vida... Não se morreu satisfeito com as coisas maravilhosas que poderiam ter sido e não foram.

Morra por quem julgar merecedor... Não perca a sua vida por medo de tentar...

É melhor morrer do que perder a vida."

Nenhum comentário:

Postar um comentário