Molhados

domingo, 20 de dezembro de 2009

"E no meio de tanta gente encontrei você..."

"E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida

Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo


Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais

Eu podia estar sofrendo caído por aí
Mas com você eu fico muito mais feliz
Mais desperto
Eu podia estar agora sem você
Mas eu não quero, não quero


Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais".

Não vá embora_ Arnaldo Antunes / Marisa Monte

Não. Esse não é um post para o amor da minha vida. Assim, na figura do príncipe encantado e tal. Até porque ainda não o encontrei. De certa forma externa meu sentimento para os amores da minha vida.
Sim. Falta um semestre pra acabar a faculdade. E apesar de todos os planos em comum, de fazer tudo junto, sempre bate um medinho. Realmente não esperava encontrar na faculdade essas verdadeiras pessoas. Pessoas da alma, do coração. Não esperava todas as proezas que a gente conseguiu. Não esperava amá-las tanto.

Com vocês aprendi que nem as previsões do tempo são tão certas quanto agora vejo que é o que sinto. Assim, quando fecho os olhos e penso em vocês, sou totalmente previsível. Porque existe a certeza do que sinto. Da vontade de ficar sempre perto. Da certeza de abrir mão do que for pra levar tudo a diante.

Assim totalmente previsível,Fran e Liri, amo vocês. De todo meu coração. Pra sempre e sempre. s2

sábado, 19 de dezembro de 2009

Líquidos

Tão rápidas quanto o líquido escorre pelas mãos. Assim se tornaram as palavras remetidas aos sentimentos. Aquelas que carregam as juras eternas. Aquelas que "nunca" deixarão de ser belas. Sentimentos também, são tão banalizados. Tão subestimados.
Como líquidos são escoados. Tão impuros. Tão cheios de más intenções e más vontades desde o início. Tão mascarados.

Palavras e sentimentos tão líquidos. Cada vez mais duvidosos. Cada vez menos reais.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Melhor nem saber...

"Você se pergunta essas coisas do tipo: Quem sou? O que estou fazendo aqui? Hum, tá a um passo da loucura então...É tão difícil escolher qual a cor da roupa vestir! Como é que alguém pode responder com toda precisão: Sou isso ou sou aquilo? Existe um monte de gente que pensa ter descoberto tudo sobre si e suas ações. mal sabem elas que nada mais fazem do que exteriorizar o que que queriam ser. Complicado?Não muito.

O fato é que não precisa enlouquecer toda vez que não se conseguir responder estas perguntas ( boas quando longe), não ligue se for difícil saber quem somos ou para onde vamos. De certo, nossa vida é tão repleta de transformações que seria impossível não mudar uma frase que seja em nosso manual de instruções.

O melhor a fazer é viver. Viver assim mesmo, com a certeza do nosso nome, nossas origens e o que de fato nos faz bem. Viver sem essa de intelectual que morre buscando a obra perfeita ou construindo uma teoria para vender.

Viva, vá em direção ao que é ser feliz.Esqueça as entre linhas da existência.

Apenas ria, dance, faça o que tiver vontade.

Nosso coração responde nossas dúvidas. É ele que está aberto o tempo todo para consultas particulares. Vá ao encontro do seu coração. Deixe que cada dia, em sua integridade, pese o que deve ser repetido e o que deve ser deixado para trás.

Quem sou e o que estou fazendo aqui?

Não sei. Talvez nem queira.

Viver apenas.Feliz é claro. Viva sempre bem."

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Pensar cansa?

Pensar cansa. Dizem os que tem medo de suas próprias idéias. Encaram como cansativo o ato de refletir sobre seus limites? Talvez. Acho que pensar muito cansa. Mas pensar de verdade. Como naquelas equações matemáticas ou fórmulas químicas. Pensar sobre a vida deveria fazer parte do cotidiano de cada um. Deveria ser um ato prazeroso, que devolva as razões de se estar vivo. Pensar sobre a vida implica viver. Não implica cansaço. Pensar a vida toda deitado no sofá também não resolve nada. Pensar vivendo, de viver mesmo, pra ser feliz, não cansa.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Voltas gigantes II

E há quem diga que são nas situações mais difíceis que "boom", superação. E eu tô me convencendo disso. Pés feito pedras. Cabeça a mil. Mãos no bolso. Princípio de comportamento de quem quer mais é sair correndo. E há quem diga que eu faria isso. E há quem diga "boom" quando me vê.

E sim, é melhor contar até dez e decolar. Afinal, estamos preparados para tudo. É preciso ter confiança nos passos e seguir, "direto e reto sempre".

E mais uma vez subo alguns degraus sem gritar, sem bater, sem matar. Mais uma vez mostro quem eu sou. Que sei quem eu sou.

Sorria, você está sendo filmado! Certo que essa frase alguém plagiou de meu anjo-da-guarda.
E eu lembro disso toda vez que algo, alguém, enfim, me exige calma.

Olho todos nos olhos. Independente de quem seja, do que fez.
Importa o presente.

Prefiro decolar a sair correndo com o corpo enxarcado de suor.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Voltas gigantes

Eu convenço a mim mesma que desisto às vezes, das coisas que parecem surreais. Ensaio uma inércia que solta meus sonhos feitos balões. Mas quando fecho os olhos, estão lá. E eu convenço muito bem. A ponto de não sofrer pela (falsa) desistência. "Deixo estar" como diz a música, e "sigo em frente". Paciência, cautela, determinação e disciplina... Atributos de quem tem a honrada oportunidade de adiar sonhos, refazer planos. Voltas gigantes. Gasto muito tênis até reencontrar o caminho.
Não sou muito de assumir riscos exagerados, mas arrisco quando não é possível fazer previsões. Sei que não me engano. Sei que o meu coração me diz o que me basta. E ele não costuma errar.

Ás vezes lentas,ásperas,torturantes. Mas sempre adaptam-se a nós. Protegidos das voltas gigantes.