Molhados

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Desculpem-me todos!

Essas últimas semanas não respondi todos os comentários
e postei quase nada. Devo pedir desculpas, eu sei.
O que acontece é que estou em fase de finalização e apresentação
de meu Trabalho Final de Graduação (monografia), e por isso,
não tô conseguindo pensar em outra coisa, até penso, mas preciso acabar
logo o trabalho, caso contrário, não tem formatura! (imagina!)

Desculpem-me todos! Logo, volto a me dedicar ao Molhe-se.
Agradeço a todos que vem até aqui, seguem, comentam, etc.
Sempre muito importantes. Sempre bem-vindos!

Beeejo.

sábado, 19 de junho de 2010

Entrevistei-me:

O que você acha de amores instantâneos? De pessoas que amam e desamam?

Gosto do inédito, apesar do chocolate quente a cada inverno.
Sentimento tem que ser novo.
Surrado, rasgado, mas novo.


A poltrona velha, o caderno rabiscado, coleções de discos,
até o chocolate quente, são todos vícios.

Mas sentimento? Invente um novo, antes de amar por aí.

Palavras repetidas me gastam.
Sempre me gastaram.

domingo, 13 de junho de 2010

Então grite!

Toda palavra não dita vai sufocar o riso antes incontido, vai ofuscar o brilho que se tinha no olhar e paralisar todos os gestos que antes não se controlavam.
Toda palavra não dita vai revelar nossa alma, vai dizer só o que se errou e o quanto se arrependeu de calar todas aquelas letras que pulavam na mente, coloridas, e que, agora sufocadas, não ditas, transformam tudo num filme preto e branco.
Toda palavra não dita vai bater sempre à porta da consciência, vai fazer transbordar os olhos e apertar o coração.
Coração... Não adianta calar a palavra e por em confronto com o que bate mais forte.
Toda palavra não dita só faz ouvir o coração. E isso é o que vai fazer doer mais.
Não é a palavra não dita o problema. O problema é o que o coração grita.

terça-feira, 8 de junho de 2010

E esse coração que teima em fazer laços.
Traços de quem perdeu a razão.
Aaaah, um dia, coração tolo, eu me desfaço de você.
Aí essa febre passa, e a vida volta a ter graça, outra vez.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

E assim ela segue sem entender o chão sob seus pés.
Imagina que a dança nunca seria a mesma.
Mas não sabe ao certo, porque não tentou.


Aaah garoto, logo ela descobre que teu mundo era pequeno pra ela.
E que nele cabe você e seus cds. Mais nada, mais ninguém.


Aaah garoto, teu mundo será pequeno enquanto tuas tentativas não saírem do papel.


E ela? Bem, aprendeu algumas coisas.
Algumas que você não sabe, que não saberá.
E baby, ela tenta sempre que necessário.

O mundo dela é maior, cabe exatamente o que ela quer.



Seeeeelos...















O Molhe-se recebeu mais selinhos.
Dessa vez da Ingrid Busquet do blog E ali deixei meus pensamentos ,
da Jaci Macedo do blog Little Dangerous e da Maryelle do blog Palavra de guria.

P.S.: Indico a todos que vem até aqui,
e deixam de alguma forma suas contribuições. Obrigada gurias pelos selos.