Molhados

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Ultimamente penso muito na bela oportunidade que é viver. Com tantos problemas e questões sociais mundo à fora, janela à fora, ali na porta, lamentamos qualquer eventualidade que surge. Qualquer garoa vira furacão. Pra que? Olho pra minha vida, pra trás, e vejo tanta coisa boa que aconteceu. Oportunidades que muitos não tem, estudo, trabalho e pessoas. Ah! As pessoas, essas fazem meu fascínio pela vida aumentar a cada dia que passa.
Tanta gente bacana, família, amigos, dias, semanas, meses, anos, vida inteira.
Adotei o ato de suspender pessoas chatas, desagradáveis, que cortam o barato de quem gosta de rir à toa.  Não tentem estragar qualquer prazer meu, não permito, não cola. "Viver é bem mais", como tantos já cantaram.
A gente não sabe o que vai acontecer daqui há alguns minutos e se não houver amanhã? Lembra da música?
Não se permita partir sem ter feito o que gostaria, sem ter ao  menos sonhado com dias melhores. Não se permita partir sem matar as vontades, sem amar de verdade.
Viver é questão de piscar os olhos para quem não sabe. E uma bela e intensa felicidade para quem VIVE da melhor forma possível, braços abertos, olhos fechados, sorriso nos lábios. Corra e abrace o mundo que é seu. Sua vida é responsabilidade somente sua, portanto sucessos e fracassos também. Não deixe pra depois.

 "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã".


Traga para sua vida toda luz, paz, amor, desejo e sorte. 

Seja leve. 
Seja feliz.



quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Às vezes me guardo, outras me gasto. Só pra conquistar de forma amarga o meu equilíbrio. Gosto de pensar que flutuo enquanto ando e imaginar que estou brincando no meio-fio, como criança que esquece o perigo.
Quando meus ossos doem de tanto querer, contraditoriamente meu coração bate mais forte. Estou viva.